Queridinhas da publicidade

Cassiano Scarambone, CEO da Take4Content, analisa a evolução da relação do setor de beleza com o marketing de influência

Roseani Rocha

Agência que desde 2017 trabalha com diferentes frentes da comunicação digital, a Take4Content atua para marcas de segmentos como esportes, música, gastronomia e, ainda, o de beleza, no qual atende a marca Salon Line. Na entrevista a seguir, o CEO Cassiano Scarambone, analisa a evolução da relação do setor de beleza com o marketing de influência e seu impacto em outras categorias.

Meio & Mensagem — No Brasil, pode-se dizer que as meninas que falavam sobre beleza inauguraram o conceito de blogueiras-celebridades e, depois, influenciadoras?
Cassiano Scarambone — Há alguns anos, houve uma explosão, em geral de mulheres, que começaram a usar seus canais como portal de branding pessoal, debatendo assuntos como moda, maquiagem, beleza, estilo de vida, saúde etc. No Brasil, não foi diferente. Muitas delas viraram celebridade. As marcas notaram o poder e a influência que essas mulheres tinham junto a seu público-alvo, e elas passaram a ser as novas queridinhas da publicidade, muitas tornaram-se até garotas-propaganda de determinadas marcas. Qualquer pessoa pode se tornar um influenciador, desde que tenha credibilidade e confiança de sua audiência, e isso só se constrói através de criação de conteúdo verdadeiro, sólido e legítimo. Afinal, não adianta ter grandes números se não tiver um conteúdo autêntico e engajamento do público. É por isso que nano influenciadores estão sendo bastante procurados agora. Eles podem chegar a ter seis vezes mais engajamento do que um influenciador de massa.

M&M — Também foram elas que consolidaram o publi, ao estabelecer um volume maior de relações comerciais com marcas?
Cassiano — Sim. Nos últimos anos, houve um aumento considerável de influenciadores, pelo aumento das vendas de smartphones e uso da internet e das novas práticas de consumo que surgiram daí. Assim, muitos profissionais de marketing miram aumentar a consciência de marca através dos influenciadores e seus publis. Através do marketing digital, as marcas têm mais liberdade para criar seu conteúdo, se promover e transmitir sua mensagem à audiência ali presente. Muitas marcas possuem contratos de exclusividade com alguns influenciadores tendo em vista o fortalecimento do seu brand awareness. As marcas precisam estar onde a audiência delas está. Hoje, sabemos que este público está nas redes sociais e o marketing de influência só cresce a cada dia, pois muitos influenciadores possuem o mesmo alcance que canais de TV e ainda têm a grande vantagem de serem mais nichados. Afinal, nada mais convincente do que receber indicações de pessoas que comentam, de forma natural, suas experiências pessoais com determinados produtos e serviços.

“Qualquer pessoa pode se tornar um influenciador, desde que tenha credibilidade e confiança de sua audiência, e isso só se constrói através de criação de conteúdo verdadeiro, sólido e legítimo”

M&M — Como avalia a evolução dos trabalhos dessas influenciadoras de beleza e das marcas com elas?
Cassiano — Os dois lados — influenciadoras e marcas — evoluíram juntos. Com as redes sociais, mudou a maneira como uma marca constrói o seu brand awareness com a sua audiência, pois elas trouxeram o diálogo e a interação entre marca e pessoas para um mesmo nível. Já está bem claro que não adianta uma influenciadora falar sobre algo que ela não consome, isso não funciona mais. O público já entendeu esse mercado, o publi não assusta, é uma forma de o influenciador ser transparente com seus seguidores, e isso é primordial. A marca e o influenciador têm que ter uma relação verdadeira e de valores parecidos.

M&M — Essa dinâmica no setor influenciou o trabalho de outras indústrias no ambiente digital?
Cassiano — Sim. Foi um movimento gradativo onde todas as indústrias perceberam o grande potencial do mercado de influência. Hoje vemos influenciadoras de beleza fazendo conteúdo e publicidade com marcas de diversos segmentos como moda, livros, acessórios, alimentos, bebida etc. Aliás, já existem influenciadores dos mais diferentes tipos de segmentos: empreendedorismo, humor, saúde, educação, audiovisual e outros. A grande beleza por trás do marketing de influência é a segmentação do público. Impactar um público que já está interessado no nicho em que determinada marca atua.

Compartilhe

Publicidade
Publicidade

Patrocínio